Conheça os problemas de pele mais comuns no inverno

Reforçar a hidratação é um dos pontos principais para prevenir descamações e ressecamentos

Texto: Redação Manequim

No inverno, a atenção com a pele deve ser redobrada | <i>Crédito: iStock
No inverno, a atenção com a pele deve ser redobrada | Crédito: iStock

Engana-se quem pensa que a pele sofre apenas no verão, com as altas temperaturas e o sol forte. No inverno, também é preciso ficar atenta. O clima seco altera o aspecto da pele, deixando-a mais ressecada e craquelada. E´a hidratação é a mais forte aliada para manter o brilho e o viço. Veja a seguir quais são os problemas de pele mais comuns com as baixas temperaturas, de acordo com a média Michele Haikal, dermatologista especialista em medicina antienvelhecimento.

- Psoríase: é o aparecimento de placas avermelhadas com escamas grossas nos joelhos, cotovelos e couro cabeludo, É um problema autoimune e depende de fatores ambientais como o estresse, o frio, banhos quentes e pouca hidratação e, principalmente, pela falta de exposição ao sol.

- Dermatite atópica (ou eczema atópico): alergia crônica, que causa coceiras e até lesões mais sérias, que podem formar crostas e soltar secreções.

 - Rosácea: doença de pele comum, causada por microvasos na superfície da pele que inflamam. Os sintomas envolvem áreas de flushing (vermelhidão e forte rubor) na pele, lesões granulomatosas, pápulas, pústulas, especialmente nas bochechas, nariz, testa e queixo. 

- Xerose cutânea: pele excessivamente seca causada pela falta de água na pele, que pode ser decorrente do envelhecimento (xerose senil) ou por doenças subjacentes como hipotireoidismo, ictiose, diabetes, podendo tornando-se áspera, grosseira ou descamar.

08/06/2017 - 14:00

Conecte-se

Revista Manequim