Pós-parto: as mudanças mais comuns na pele e como tratar

No pós-parto a vida muda, inclusive o cabelo e a pele. A dermatologista Luciana Maluf comenta algumas mudanças e as limitações nesta fase

Texto: Luciana Maluf*, dermatologista e colunista de beleza

Tratamentos de beleza pós-parto | <i>Crédito: Shutterstock
Tratamentos de beleza pós-parto | Crédito: Shutterstock

A maioria das mudanças pós-parto afetam a pele resolvem-se com o tempo, e aquelas que permanecem podem ser tratadas com medicamentos, cremes formulados e alguns procedimentos dermatológicos apropriados. 

Durante a gravidez, algumas áreas da pele podem sofrer um excesso de pigmentação, resultando em manchas escuras. Cerca de 90% de todas as mulheres sofrem alguma hiperpigmentação, geralmente no contorno dos mamilos, sob as axilas ou nos genitais. A ‘linea nigra’ – uma linha escura que se estende do umbigo até a área púbica – costuma desaparecer completamente depois do parto. Para acelerar o clareamento, uma boa hidratação e aplicação de produtos com componentes despigmentantes ajudam. Caso contrário, esse escurecimento se resolve sozinho em alguns meses.

Nas peles de tonalidade oliva, é mais provável que o melasma apareça – e dificilmente desaparece depois do parto. Produtos para o dia e para a noite com clareadores e antioxidantes mantém um tratamento constante na inibição do escurecimento da mancha e auxilia no seu clareamento e uniformização da pele. Protetores solares com base tonalizante também são ótima opção pois além do filtro físico e químico, ele camufla a mancha e normaliza o tom da pele, melhorando a auto-estima da paciente. Durante a gravidez, muitas vezes os sinais de nascença ficam maiores ou mais escuros, mas costumam voltar à forma original depois do parto. Pequenos crescimentos de pele, fibromas moles e acrocórdons, costumam aparecer no pescoço, sob os braços, sob a linha do sutiã e na virilha e podem ser removidos pelo dermatologista.

Estrias

A pele que se estende muitas vezes desenvolve estrias – o que acontece em cerca de 90% das mulheres grávidas. Elas são mais comuns no abdômen, seios e coxas. Algumas medidas preventivas devem ser tomadas, como hidratação abundante nessas regiões, de preferência com cremes formulados com vitamina E, óleos e componentes emolientes. Para solucionar o problema, pode ser usado o laser não ablativo com peelings, laser ablativo e microagulhamento com drug delivery.


21/03/2017 - 08:47

Conecte-se

Revista Manequim