"Minha mãe fazia" resgata a cozinha e a escrita do afeto

Livro, que reúne crônicas e receitas da jornalista Ana Holanda, terá lançamento em São Paulo

Texto: Redação Manequim

Com 240 páginas, a publicação é da Editora Rocco e custa R$ 39,50 | <i>Crédito: Divulgação
Com 240 páginas, a publicação é da Editora Rocco e custa R$ 39,50 | Crédito: Divulgação
Na próxima quarta-feira, 17 de maio, será o lançamento do livro "Minha mãe fazia", da jornalista e editora-chefe da Revista Vida Simples, Ana Holanda, em São Paulo. O evento será na Livraria da Vila (Alameda Lorena, 1731, Jardim Paulista), às 18h30.  

Com passagem pelas principais redações de revistas do país, Ana Holanda sempre viu a comida não só como alimento para o corpo, mas para a alma. Afinal, quantas histórias, confidências, causos de família e momentos marcantes vivemos em torno de uma mesa posta, ao lado de familiares e amigos, ou mesmo durante o preparo das refeições, em meio à movimentação da cozinha? Em Minha mãe fazia, Ana reúne deliciosas receitas que são uma verdadeira viagem aos sabores, aromas e memórias da infância e de toda uma vida, resgatadas em crônicas igualmente saborosas. 

O projeto, que nasceu no Facebook e ganha agora caprichada edição em livro, reúne receitas que Ana tirou do caderno de sua mãe, exímia cozinheira, e do seu próprio. São pratos do dia a dia, bolos, doces simples, comida sem frescura ou a pretensão de ser gourmet. “Comida pra mim tem o papel de resgatar, pelos aromas e sabores, lembranças queridas e, dessa forma, nos conectar com pessoas que fizeram parte da nossa história, mesmo quando elas não estão mais aqui.”, conta a autora, que tempera suas receitas e histórias com uma escrita afetiva que deixa o leitor com água na boca e o coração leve.

Cada família tem seu modo de preparar aquela carne de panela, um nhoque, o bolo de cenoura, a canjica, um suflê, um bolo de fubá... No livro, Ana reuniu 68 receitas que quase todo brasileiro já experimentou em casa, divididas em grupos temáticos como “Receitas tiradas da gaveta”, “Receitas para refeições em família”, “Receitas fáceis demais”, “Receitas para a lancheira”, “Receitas que favorecem a conversa ou aquietam o coração” e outros, todas precedidas por alguma história ou reflexão. Ao passar a prática receita da pizza enrolada que sua mãe fazia, por exemplo, “e que provavelmente, não tem nada nem de italiana, nem de pizza, mas a gente gosta mesmo assim”, Ana se lembra de quando andou pesquisando uma receita de ragu, um molho feito em cozimento lento e fogo baixo que “deve ter surgido num tempo em que a pressa não era essa senhora, que anda atrás da gente sempre a nos perturbar”. Afinal, conclui “cada receita conversa com seu tempo, sua origem”.

E em "Minha mãe fazia", cada crônica é sempre acompanhada por uma receita capaz de evocar lembranças da infância, de nos acalentar depois de um dia difícil, ou de trazer à tona a conversa a redor de uma mesa farta, cercada de amigos. Portanto, aceite o convite. Relembre sabores há muito tempo esquecidos, lugares especiais e pessoas queridas. Sirva-se à vontade – porque tem sempre mais uma travessa no forno!

Capa do livro "Minha mãe fazia" e a autora Ana Holanda

Ana Holanda é jornalista, formada pela PUC-SP e criadora do projeto Minha mãe fazia no Facebook. Passou pelas principais redações de revistas do país, e desde 2011 é editora-chefe da revista Vida Simples. Assina também a coluna “Comida de Alma”, na revista Máxima. É embaixadora da Th e School Of Life no Brasil. Na filial da escola em São Paulo, dá aulas sobre Como se Encontrar na Escrita. Também viaja pelo país dando cursos, workshops e palestras sobre Escrita Afetiva e sobre as narrativas que nascem na cozinha.

11/05/2017 - 18:24

Conecte-se

Revista Manequim